quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

ANÁLISE e TEORIA: Spring Day BTS

O MV reflete a situação dos meninos em 'I Need U' e

os acontecimentos pós-morte vistos no álbum 'Wings'


Nota: essa teoria complementa a do canal Bora Cantar K-pop


V começa olhando para onde está a seta. É a “direita” dele. Ele ouve o barulho do trem que se aproxima.
JUNGKOOK ESTÁ SOZINHO no trem. Jimin olha o limite entre o céu e o mar, como a foto branca e cinza. O foco no Jimin nesse MV tem dois motivos:
1 – Jimin morreu de frio, e a letra fala sobre o fim do inverno.
2 – Jimin acha que Jin morreu, e muito do MV se passa em torno disso.
Jimin sorri para onde Jungkook está (de frente pra ele), pois é inocente e não vê o mal que cerca Jungkook.
O hotel está “cheio” (com os rappers), por isso, NÃO HÁ VAGAS. O corredor cheio de luzes por onde Nam passa pode ser referência a Joke. Ele passa por onde Jungkook está, mas o ignora, exatamente como na noite da morte de Jungkook. Esse Jungkook do trem é controverso, então temos que analisar mais à frente.
Mas o que é o trem? Significa o mesmo que o avião: a transição entre os mundos.
Rap Monster chega à sua festa de aniversário. Por isso (e também por ser o líder), ele usa a coroa. Mas nesse primeiro momento ele não parece satisfeito com a bagunça. A música se passa entre o inverno e a primavera. O aniversário do Namjoon bate com essa passagem no hemisfério sul, mas não no norte (onde fica a Coreia). Esse aniversário pode ser o de morte, o nascimento no novo mundo. “Quem quiser nascer tem que destruir um mundo”.
A cena da escada é simples: Todos vão para cima (céu), em busca de Jin, mas na verdade ele está em baixo, e observa tudo (sinal de câmera) como no Prologue. Significa o coma e tudo envolto nele.
V anda pela linha do trem, porque ele não esperou o trem chegar (a morte lhe levar). Ele foi por conta própria. Logo antes, Jungkook olhou para a tal direita (levando em conta que está de frente para Tae e Jimin), indicando que V foi por lá. Jimin também caminha para lá. O carrossel pode significar a infantilidade de Jungkook, mas é importante notar que não é um carrosel qualquer. Ele é feito de balanços, o que nos lembra o próprio Jungkook na primeira parte de Wings (BST, TWT).
Na festa, existem várias cenas, sendo que as mais importantes são o Hoseok no espelho e o Jin furando a orelha do Jimin. Isso significa que JIMIN ESTÁ SOFRENDO POR CAUSA DO JIN, ou seja, com sua morte. Depois, novamente, temos Namjoon ignorando Jungkook (porque está dormindo). Notando isso, Jungkook deita no ombro dele.
Quando V faz o sinal da câmera, dá pra notar sua sombra, o que não seria nada se eu não tivesse reparado nessa sombra também quando Jin fez o sinal. A sombra dos dois pode ser só coincidência, mas no sentido geral, a sombra é cheia de significado, principalmente para Rap Monster. De repente, os dois aparecem na mesma cena tirando as blusas de frios. As sombras deles não aparecem, mas atrás de cada um há uma arandela, bem na altura da cabeça. Provavelmente isso tudo está relacionado à cena final de Blood Sweat and Tears onde V revela a Jin a estátua (cujo significado já conhecemos).
V caminha feliz pela linha do trem, o que nos lembra muito o refrão de I Need You, onde todos andam pela linha do trem. Finalmente, ela tem um significado, porque em INU todos estão se encaminhando para a morte, mesmo sem saber. Aqui, V já se vê sozinho e caminha feliz, porque sabe que os outros “foram por ali”.
A cena seguinte é a festa do Rap Monster, onde há uma espécie de “Parabéns”, sem ânimo nenhum, diferente de antes. Tenho muitos palpites para o significado disso.
- Nam não gostou da surpresa e isso deixou os outros tristes.
Essa opção é refutada, porque a cena feliz se passa depois, já que nela o bolo foi “jogado no chão”. Como poderia voltar à mesa para o parabéns? Maaas, essa cena foi logo quando o Namjoon chegou, então como pode ser depois? Duas opções:
- Namjoon já tinha estado lá, e voltou.
- Namjoon nem saiu dali, já que a cena anterior foi chamada pelo mesmo de “cena de ligação” no Sketch.
Jimin aparece pegando os tênis na praia logo depois da cena do carrossel, mostrando novamente que estão juntos. O tênis representa a falsa morte de Jin. Iisso se comprovará ao longo da análise, mas por enquanto, basta lembrar do photoshoot de Wings, em que todos os meninos estão com pantufas e Jin está descalço, porque é o único vivo. Logo depois, aparecem V e Moni rindo juntos, talvez de Jimin (não que eles estejam achando graça da mentira, mas simbolicamente é como se debochassem do Jimin, que está logo atrás, na lavanderia. A lavanderia, às vezes, parece ser dentro do trem, mas é uma questão de ligação. As portas do trem dão na lavanderia, mas também dão no hotel, que certamente é fora do trem.
Essa é a cena mais interessante: Dentro da lavanderia, estão os outros cinco. Os três que estão sentados juntos são os mesmos da cena do Prologue/Awake. Jimin está sentado perto de um quadro semelhante ao de Lie. Já Jin está perto de uma máquina, ativando-a com uma moeda. A moeda significa a vida: “a vida é como uma moeda limpa”, e Jin a jogou fora, representando a tentativa de suicídio. Logo em seguida, aparece Jimin olhando para Jin, novamente como se sentisse sua morte. Temos uma cena breve dos dois lá fora (que ainda estão vivos), e volta para Jin na frente de Jimin, vendo as três máquinas de lavar, que representam as mortes dos três sentados. A visão de dentro da máquina mostra o quadro ao fundo, o que lembra Lie. Ao mesmo tempo, a máquina lembra a lente da Instax ou da handycam de Jin (que significam que ele está observando) e faz alusão ao suicídio de Jin, que foi dentro da água. Ele foi “lavado”. A vida é uma moeda LIMPA.
Depois, Suga está dentro da máquina, o que já significa sua morte, mas não tem relevância  cronologicamente. Em seguida, é a cena de Hoseok em cima do trem. Isso significa que ele está próximo do céu (que foi salvo). Ele inclusive abre os braços, uma referências às asas que se ganhou. O trem leva para a morte, mas ele está “bem”, porque não sabe que está indo (Hoseok morreu de overdose). Isso também fica claro quando ele arremessa o avião de papel. O avião, assim como o trem, significa passagem. O fato de ser de papel significa um brinquedo, uma infantilidade (já que Hoseok morreu por imprudência). Vale lembrar que, no photoshoot, quem segura esse avião é o Jungkook.
A próxima cena relevante é o carrossel. Jungkook está parado enquanto os outros se movimentam, e depois ele também se move. É como se estivesse sozinho, porém não de verdade. Uma referência ao título do álbum que está no carrossel. Jungkook estava sozinho quando morreu, mas na verdade os outros estavam com ele. Essa cena também pode significar a mentira, porque Jungkook é, a grosso modo, o causador da tentativa de suicídio do Jin, e só ele sabe disso (na verdade, Suga também, mas é como se ele sentisse a culpa).Um detalhe: antes de ele começar a andar, olha para o lado, o que me lembra seu atropelamento.
Finalmente, aparece nosso segundo Jungkook. Dá pra ver a diferença pelo cabelo desarrumado. Enquanto o primeiro estava quieto no trem, este anda à procura dos outros, mas tudo mostra claramente que ele está sozinho. Quando ele dá no hotel, ele está escuro e vazio. O letreiro de NÃO HÁ VAGAS pisca na palavra NÃO, porque agora há vagas (o hotel está vazio). Ele encontra os meninos depois de passar pela lavanderia (que parece ser dentro do trem), e depois o trem passa na frente deles, com o primeiro Jungkook dentro. Isso mostra uma confusão espaço-temporal que acontece no MV. A confusão temporal é vista quando dois Jungkooks de tempos diferentes se encontram, e a espacial porque a geografia toda do MV é cheia de conexões: corredores, cenas de ligação, portas que dão em lugares impossíveis… uma coisa meio “Alice no país das maravilhas”. Tenho que confessar que estava esperando por uma coisa assim, porque a cena de BST (do jantar) me lembrou muito essa história, além do fato do Namjoon ser “louco”, etc.
Voltamos ao interior do hotel. Jungkook está sozinho com um fósforo aceso. Fogo tem a ver com Yoongi, mas também lembra as velas de Awake (que representam a morte ao se apagar). O fósforo apaga, significando a morte de Namjoon. Dá pra saber porque a única cena entre o fósforo apagar e acender de novo é o Namjoon naquele corredor de ligação, parado, o que lembra MUITO Joke (a morte do Namjoon). Quando o fósforo reacende, todos estão ali, porque Namjoon chegou por último (se contarmos com o Jin que está em coma, então como se estivesse morto). Faltava apenas Namjoon para que eles pudessem se encontrar. O fósforo aceso também simboliza que Jin está vivo, porque Namjoon só descobri isso pouco antes de morrer.
Logo em seguida vem a cena dentro da máquina, que significa a morte de todos (seja com ou sem o Jin, não importa muito). O mais interessante nessa cena é o Jungkook olhando para o Jin, novamente sentindo culpa.
Depois, voltamos ao trem. O primeiro Jungkook não está mais sozinho. Isso provavelmente significa o momento em que todos foram salvos. Então, nosso foco volta para o Jimin, a partir do momento em que Hoseok se preocupa com ele (como sempre vemos acontecer). Hoseok se sente culpado pela morte de Jimin, e ali ele parece novamente com frio.
Jimin é quem abre a porta do trem. Dá pra perceber em sua respiração (no vidro) que ele está com frio. Todos começam a caminhar juntos num local aberto. O trem é visto ao longe. Eles se aproximam de uma árvore com galhos secos, muito semelhante à da capa da edição de bolso de Demian. Jimin pendura o tênis de Jin nos galhos. É costume em alguns lugares pendurar calçados de um falecido em um lugar alto, na esperança de que ele ande no céu. Nesse momento, comprova-se que Jimin achava que Jin estava morto. Ao mesmo tempo, o jeito que Jimin levanta a cabeça lembra muito o fim de Blood, Sweat and Tears: ele tira a faixa e está chorando lágrimas verdes: é o momento em que ele descobre a verdade sobre Jin. Então, por que ele pendurou o sapato mesmo sabendo a verdade? Por que eles precisam acreditar que Jin está morto, para mantê-lo junto com eles. Se Jin acreditar que está vivo, irá desaparecer.
E assim termina o MV, com a verdade sobre a suposta morte de Jin se fazendo conhecida. Porém, vimos em Blood Sweat and Tears, que Jin já descobriu que está vivo. Em certo momento desse trecho, podemos ver os meninos de longe, e fica a dúvida: à primeira vista, parecem ser apenas seis, mas também parece que um deles está meio “escondido” atrás do outro, e por isso não dá pra ver. Esse trecho final é o mais misterioso, mas como ele repete algo que já sabemos por Blood Sweat and Tears, não adianta tanto quebrar a cabeça, adianta? Tudo isso já nos foi falado, e está apenas sendo parafraseado. O que vai realmente ser uma novidade? Not Today. Provavelmente é neste MV que está o gran finalle disso tudo, e talvez o início de uma nova história.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

CHIADO: A verdade sobre o "J" americano

Olá, galera. Hoje decidi falar sobre a letrinha do meu nome, e aproveitar também pra falar sobre a sua parente surda (já vou explicar). Vamos entender a diferença entre os fonemas que são associados a essas letras no português, no inglês e no coreano (que é muito interessante para estudar o assunto fonético).

Primeiro, precisamos entender sobre a tal parente surda. A maioria dos sons pode ser produzido de duas formas diferentes, classificando-os como surdos (como p, t , f) ou sonoros (como b, d, v). Cada surda se combina com uma sonora. Os exemplos são três pares de fonemas surdos e sonoros que se combinam (respectivamente) por serem pronunciados da mesma forma. Exemplo: o par de fonemas t/d é linguodental. Pronuncie e perceba que, em ambas as letras, a língua bate no dente (tal como o fonema nasal n). A diferença está lá no fundão, na hora de produzir o som. O interessante é que a língua coreana não faz essa distinção. Eles possuem apenas uma letra gráfica para cada par de fonemas surdo/sonoro. Por isso, o idioma me ajudou muito na hora de estudar essa área da fonética.


Abaixo, fiz uma tabela com alguns exemplos pra você entender melhor!


Surdo
Sonoro
Hangeul (Coreano)
Bilabial
p
b
Linguodental
t
d
Velar
k
g
Labiodental
f
v
(não existe)

Agora, vamos falar sobre as nossa letra temática, o J. Ele sempre tem som de /Ʒ/ no português: janela, jeito, pajé, etc. O som também pode ser usado com a letra G, em alguns casos: girafa, margem, etc. Mas, frequentemente, ao pronunciar nomes iniciados em J, os brasileiros pronunciam o fonema com um “chiado”. Esse chiado também acontece em certas regiões do Brasil quando unimos os fonemas linguodentais à letra I, como em “tia” e “dia”. Repare, o som é diferente de “tatu” ou “dado”. Na língua inglesa, o J sempre é pronunciado com esse chiado.

Mas o que realmente é esse chiado? Geralmente, na hora de “abrasileirar” a pronúncia inglesa, usamos o “di” no lugar do “j”, e o “ti” no lugar do “ch”.

Exemplos: Jewel > Diéuéu / Chance > Tiens

Isso acontece justamente porque nós só fazemos esse chiado com a letra I. Mas o som que fazemos ao pronunciar essas palavras, na verdade, não é com I.

O fonema que é usado para representar o J com chiado é /dƷ/, que corresponde mais ou menos a “dj”. Ou seja, o melhor modo de abrasileirar é com “dj”, e não “di”. Perceba:

Diéuéu X Djéuéu

Já o fonema para representar o T com chiado é o /tʃ/, (sendo ʃ o som de x em “xícara”), que pode ser representado como “tx” ou “tch”. Repare que o “tch” é exatamente o que usamos na palavra brasileira “tchau”, que é tão complicada para ser escrita no início da alfabetização. Isso porque é a única palavra onde esse dífono aparece sem estar acompanhada do I, e também a única onde os sons aparecem claramente juntos. Agora veja a diferença que faz na hora de abrasileirar:

Tiens X Txens/Tchens

Talvez você não perceba tanta diferença, mas o I é um fonema que não existe nessas palavras. Tanto que você já pensa que esse I tem que ser pronunciado rápido, porque o que você quer não é o I, mas sim o efeito de chiado produzido na união entre essas letras. Muito melhor você representar apenas o chiado, para não correr o risco de colocar força demais em um I que não existe.

No coreano, a letra que representa o J e o CH americanos é o, sendo o J sonoro e o CH surdo, dois fonemas que se unem em um único caractere. A palavra coreana  전라도 romanizada ao pé da letra é “Jeon-ra-do”. No entanto, sabemos que esse j é como o americano e tem chiado. Ele seria normalmente abrasileirado como Dión-ra-do (“eo” tem som de “ó” aberto), mas agora você sabe que a maneira mais correta de escrever é “Djón-ra-do”, ou até como “Txón-ra-do”, já que o som não faz tanta diferença lá (mas a romanização oficial é com J: Jeolla-do).

Colocando em prática no português:

Dia > Djia
Tia > Tchia ou Txia

Em nomes:
Jéssica > Djéssica
Jenifer > Djenifer

Agora, por quê essa diferenciação que fazemos com a letra I? Não sei, mas parece ser uma vogal bastante especial. No coreano, a letra S também tem chiado apenas no I, sendo pronunciada como “xi”. Além disso, talvez você não tenha reparado, mas pode acontecer algo semelhante com a letra L, que junto à letra I pode ser pronunciada como “lhi”. Repare: quando você diz “la, le, li, lo, lu”, a língua bate no mesmo lugar (o alvéolo) todas as vezes, exceto no I (em que a língua bate no céu da boca). O “l” é um fonema alveolar, e o “lh” é um fonema palatal (porque a língua bate no palato duro). É exatamente por isso que as crianças fazem confusão entre “lha” e “lia”. Exemplo: nas palavras “milha” e “família”, o som final é o mesmo. Eu reparo essa diferença quando meu primo (de 6 anos) fala “livro”, e não “lhivro” como eu falo.

Minha conclusão é que a questão está no I. Vamos ver de novo:

Idioma
Consoante
Letra + vogais
Sons
Inglês
J
ja – je – ji – jo – ju
djei – dji – djai – djou – djiu
Inglês
CH
cha, che, chi, cho, chu
txei – txi – txai – txou - txiu
Português
D
da, de, di, do du
da – de – dji – do - du
Português
T
ta, te, ti, to, tu
ta – te – txi – to - tu
Português
L
la – le – li – lo – lu
la – le – lhi – lo - lu
Coreano
S
sa – sae – se – si – seo – so – seu – su
sa – sé – sê – xi – só – sô – sü - su

Vou estudar mais a fundo o motivo de essa vogal causar tanta diferença, mas provavelmente está relacionada à sua formação. Acho que ela pode ter um ponto de formação que “se encaixe” na formação do chiado.