sábado, 4 de fevereiro de 2017

CHIADO: A verdade sobre o "J" americano

Olá, galera. Hoje decidi falar sobre a letrinha do meu nome, e aproveitar também pra falar sobre a sua parente surda (já vou explicar). Vamos entender a diferença entre os fonemas que são associados a essas letras no português, no inglês e no coreano (que é muito interessante para estudar o assunto fonético).

Primeiro, precisamos entender sobre a tal parente surda. A maioria dos sons pode ser produzido de duas formas diferentes, classificando-os como surdos (como p, t , f) ou sonoros (como b, d, v). Cada surda se combina com uma sonora. Os exemplos são três pares de fonemas surdos e sonoros que se combinam (respectivamente) por serem pronunciados da mesma forma. Exemplo: o par de fonemas t/d é linguodental. Pronuncie e perceba que, em ambas as letras, a língua bate no dente (tal como o fonema nasal n). A diferença está lá no fundão, na hora de produzir o som. O interessante é que a língua coreana não faz essa distinção. Eles possuem apenas uma letra gráfica para cada par de fonemas surdo/sonoro. Por isso, o idioma me ajudou muito na hora de estudar essa área da fonética.


Abaixo, fiz uma tabela com alguns exemplos pra você entender melhor!


Surdo
Sonoro
Hangeul (Coreano)
Bilabial
p
b
Linguodental
t
d
Velar
k
g
Labiodental
f
v
(não existe)

Agora, vamos falar sobre as nossa letra temática, o J. Ele sempre tem som de /Ʒ/ no português: janela, jeito, pajé, etc. O som também pode ser usado com a letra G, em alguns casos: girafa, margem, etc. Mas, frequentemente, ao pronunciar nomes iniciados em J, os brasileiros pronunciam o fonema com um “chiado”. Esse chiado também acontece em certas regiões do Brasil quando unimos os fonemas linguodentais à letra I, como em “tia” e “dia”. Repare, o som é diferente de “tatu” ou “dado”. Na língua inglesa, o J sempre é pronunciado com esse chiado.

Mas o que realmente é esse chiado? Geralmente, na hora de “abrasileirar” a pronúncia inglesa, usamos o “di” no lugar do “j”, e o “ti” no lugar do “ch”.

Exemplos: Jewel > Diéuéu / Chance > Tiens

Isso acontece justamente porque nós só fazemos esse chiado com a letra I. Mas o som que fazemos ao pronunciar essas palavras, na verdade, não é com I.

O fonema que é usado para representar o J com chiado é /dƷ/, que corresponde mais ou menos a “dj”. Ou seja, o melhor modo de abrasileirar é com “dj”, e não “di”. Perceba:

Diéuéu X Djéuéu

Já o fonema para representar o T com chiado é o /tʃ/, (sendo ʃ o som de x em “xícara”), que pode ser representado como “tx” ou “tch”. Repare que o “tch” é exatamente o que usamos na palavra brasileira “tchau”, que é tão complicada para ser escrita no início da alfabetização. Isso porque é a única palavra onde esse dífono aparece sem estar acompanhada do I, e também a única onde os sons aparecem claramente juntos. Agora veja a diferença que faz na hora de abrasileirar:

Tiens X Txens/Tchens

Talvez você não perceba tanta diferença, mas o I é um fonema que não existe nessas palavras. Tanto que você já pensa que esse I tem que ser pronunciado rápido, porque o que você quer não é o I, mas sim o efeito de chiado produzido na união entre essas letras. Muito melhor você representar apenas o chiado, para não correr o risco de colocar força demais em um I que não existe.

No coreano, a letra que representa o J e o CH americanos é o, sendo o J sonoro e o CH surdo, dois fonemas que se unem em um único caractere. A palavra coreana  전라도 romanizada ao pé da letra é “Jeon-ra-do”. No entanto, sabemos que esse j é como o americano e tem chiado. Ele seria normalmente abrasileirado como Dión-ra-do (“eo” tem som de “ó” aberto), mas agora você sabe que a maneira mais correta de escrever é “Djón-ra-do”, ou até como “Txón-ra-do”, já que o som não faz tanta diferença lá (mas a romanização oficial é com J: Jeolla-do).

Colocando em prática no português:

Dia > Djia
Tia > Tchia ou Txia

Em nomes:
Jéssica > Djéssica
Jenifer > Djenifer

Agora, por quê essa diferenciação que fazemos com a letra I? Não sei, mas parece ser uma vogal bastante especial. No coreano, a letra S também tem chiado apenas no I, sendo pronunciada como “xi”. Além disso, talvez você não tenha reparado, mas pode acontecer algo semelhante com a letra L, que junto à letra I pode ser pronunciada como “lhi”. Repare: quando você diz “la, le, li, lo, lu”, a língua bate no mesmo lugar (o alvéolo) todas as vezes, exceto no I (em que a língua bate no céu da boca). O “l” é um fonema alveolar, e o “lh” é um fonema palatal (porque a língua bate no palato duro). É exatamente por isso que as crianças fazem confusão entre “lha” e “lia”. Exemplo: nas palavras “milha” e “família”, o som final é o mesmo. Eu reparo essa diferença quando meu primo (de 6 anos) fala “livro”, e não “lhivro” como eu falo.

Minha conclusão é que a questão está no I. Vamos ver de novo:

Idioma
Consoante
Letra + vogais
Sons
Inglês
J
ja – je – ji – jo – ju
djei – dji – djai – djou – djiu
Inglês
CH
cha, che, chi, cho, chu
txei – txi – txai – txou - txiu
Português
D
da, de, di, do du
da – de – dji – do - du
Português
T
ta, te, ti, to, tu
ta – te – txi – to - tu
Português
L
la – le – li – lo – lu
la – le – lhi – lo - lu
Coreano
S
sa – sae – se – si – seo – so – seu – su
sa – sé – sê – xi – só – sô – sü - su

Vou estudar mais a fundo o motivo de essa vogal causar tanta diferença, mas provavelmente está relacionada à sua formação. Acho que ela pode ter um ponto de formação que “se encaixe” na formação do chiado.